Normalização

A APAL colabora, através de alguns dos seus associados, com a Comissão Técnica CT 34 - Metais Não Ferrosos e suas Ligas, do IPQ - Instituto Português da Qualidade, a qual tem como objectivo a preparação da versão portuguesa (NP) das normas europeias (EN).

NORMAS MAIS UTILIZADAS PELOS ASSOCIADOS

ALUMÍNIO E LIGAS DE ALUMÍNIO
NP EN 485-1: 1994 - Alumínio e ligas de alumínio - Chapas, fitas e placas.
Parte 1: Condições técnicas de controlo e de fornecimento.
NP EN 485-2: 1998 - Alumínio e ligas de alumínio - Chapas fitas e placas.
Parte 2: Características mecânicas.
NP EN 485-3: 1994 - Alumínio e ligas de alumínio - Chapas, fitas e placas.
Parte 3: Tolerâncias de forma e de dimensões dos produtos laminados a quente.
NP EN 485-4: 1994 - Alumínio e ligas de alumínio - Chapas, fitas e placas.
Parte 4: Tolerâncias de forma e de dimensões dos produtos laminados a frio.
NP EN 515: 1994 - Alumínio e ligas de alumínio - Produtos trabalhados.
Designação dos estados metalúrgicos.
NP EN 573-1: 1996 - Alumínio e ligas de alumínio - Composição química e forma dos produtos trabalhados.
Parte 1: Sistema de designação numérica.
NP EN 573-2: 1994 - Alumínio e ligas de alumínio - Composição química e forma dos produtos trabalhados.
Parte 2: Sistema de designação baseado nos símbolos químicos.
NP EN 573-3: 1996 - Alumínio e ligas de alumínio - Composição química e forma dos produtos trabalhados.
Parte 3: Composição química.
NP EN 573-4: 1996 - Alumínio e ligas de alumínio - Composição química e forma dos produtos trabalhados.
Parte 4: Forma dos produtos.
NP EN 573-5: 2010 - Alumínio e ligas de alumínio - Composição química e forma dos produtos trabalhados.
Parte 5: Codificação dos produtos trabalhados normalizados.
NP EN 755-1: 1999 - Alumínio e ligas de alumínio - Barras, tubos e perfis extrudidos.
Parte 1: Condições de controlo e de expedição.
NP EN 755-2: 1999 - Alumínio e ligas de alumínio - Barras, tubos e perfis extrudidos.
Parte 2: Características mecânicas.
NP EN 755-3: 1998 - Alumínio e ligas de alumínio - Barras, tubos e perfis extrudidos.
Parte 3: Barras redondas, tolerâncias nas dimensões e na forma.
NP EN 755-4: 1999 - Alumínio e ligas de alumínio - Barras, tubos e perfis extrudidos.
Parte 4: Barras quadradas, tolerâncias nas dimensões e na forma.
NP EN 755-5: 1999 - Alumínio e ligas de alumínio - Barras, tubos e perfis extrudidos.
Parte 5: Barras rectangulares, tolerâncias nas dimensões e na forma.
NP EN 755-6: 1999 - Alumínio e ligas de alumínio - Barras, tubos e perfis extrudidos.
Parte 6: Barras hexagonais, tolerâncias nas dimensões e na forma.
NP EN 755-7: 2000 - Alumínio e ligas de alumínio - Barra/varão, tubo e perfis extrudidos.
Parte 7: Tubos sem costura, tolerâncias nas dimensões e na forma.
NP EN 755-8: 2000 - Alumínio e ligas de alumínio - Barra/varão, tubo e perfis extrudidos.
Parte 8: Tubos extrudidos com mandril (porthole), tolerâncias nas dimensões e na forma.
NP EN 755- 9: 2001 - Alumínio e ligas de alumínio - Barra/varão, tubo e perfis extrudidos.
Parte 9: Perfis, tolerâncias nas dimensões e na forma.
EN 12020-1: 2001 - Alumínio e ligas de alumínio - Perfis de precisão extrudidos em ligas EN AW-6060 e EN AW-6063.
Parte 1: Condições técnicas de controlo e de fornecimento.
EN 12020-2: 2001 - Alumínio e ligas de alumínio - Perfis de precisão extrudidos em ligas EN AW-6060 e EN AW-6063.
Parte 2: Tolerâncias nas dimensões e na forma.
NP EN 12258-1: 2000 - Alumínio e ligas de alumínio - Termos e definições.
Parte 1: Termos gerais.
 
ANODIZAÇÃO
NP EN 12373-1: 2002 - Alumínio e ligas de alumínio - Anodização
Parte 1: Método de especificação das características dos revestimentos decorativos e protectores obtidos por oxidação anódica do alumínio.
* NP EN 12373-2: 2001 - Alumínio e ligas de alumínio - Anodização
Parte 2: Determinação da massa por unidade de superfície dos revestimentos de oxidação anódica - Método gravimétrico.
* NP EN 12373-3: 2001 - Alumínio e ligas de alumínio - Anodização
Parte 3: Determinação da espessura dos revestimentos de oxidação anódica - Método não destrutivo com o microscópio de corte óptico.
* NP EN 12373-4: 2001 - Alumínio e ligas de alumínio - Anodização
Parte 4: Apreciação da perda de poder absorvente dos revestimentos de oxidação anódica após colmatagem por ensaio com a gota de corante com pré-tratamento ácido.
* NP EN 12373-5: 2001 - Alumínio e ligas de alumínio - Anodização
Parte 5: Verificação da qualidade da colmatagem dos revestimentos de oxidação anódica por medição da admitância.
* NP EN 12373-6: 2001 - Alumínio e ligas de alumínio - Anodização
Parte 6: Verificação da qualidade da colmatagem dos revestimentos de oxidação anódica por determinação da perda de massa após imersão em solução de ácido fosfórico / ácido crómico sem prévio tratamento ácido (ISO 3210: 1938).
NP EN 12373-7: 2001 - Alumínio e ligas de alumínio – Anodização
Parte 7: Verificação da qualidade da colmatagem dos revestimentos de oxidação anódica por determinação da perda de massa após imersão em solução de ácido fosfórico / ácido crómico com prévio tratamento ácido.
NP EN 12373-8: 2001 - Alumínio e ligas de alumínio - Anodização
Parte 8: Determinação comparativa da solidez à luz ultravioleta e ao calor dos revestimentos de oxidação anódica coloridos.
NP EN 12373-9: 2001 - Alumínio e ligas de alumínio - Anodização
Parte 9: Determinação da resistência ao desgaste e do índice de desgaste dos revestimentos de oxidação anódica por ensaio com a roda abrasiva.
NP EN 12373-10: 2001 - Alumínio e ligas de alumínio - Anodização
Parte 10: Determinação da resistência à abrasão específica média dos revestimentos de oxidação anódica por ensaio com o aparelho de jacto abrasivo.
NP EN 12373-11: 2001 - Alumínio e ligas de alumínio - Anodização
Parte 11: Medição da reflectância especular e do brilho especular dos revestimentos de oxidação anódica segundo ângulos de 20º, 45º, 60º ou 85º.
NP EN 12373-12: 2001 - Alumínio e ligas de alumínio - Anodização
Parte 12: Medição das características da reflectância das superfícies do alumínio utilizando integradores esféricos.
NP EN 12373-13: 2001 - Alumínio e ligas de alumínio - Anodização
Parte 13: Medição das características da reflectância das superfícies do alumínio utilizando um goniofotómetro normal ou simplificado.
NP EN 12373-14: 2001 - Alumínio e ligas de alumínio - Anodização
Parte 14: Determinação visual da nitidez da imagem dos revestimentos de oxidação anódica - Método das escalas graduadas.
NP EN 12373-15: 2001 - Alumínio e ligas de alumínio - Anodização
Parte 15: Avaliação da resistência dos revestimentos de oxidação anódica à formação de fissuras por deformação.
NP EN 12373-16: 2002 - Alumínio e ligas de alumínio - Anodização
Parte 16: Verificação da continuidade dos revestimentos de oxidação anódica de pequena espessura - Ensaio pelo sulfato de cobre.
NP EN 12373-17: 2002 - Alumínio e ligas de alumínio - Anodização
Parte 17: Determinação da tensão eléctrica de rotura.
NP EN 12373-18: 2002 - Alumínio e ligas de alumínio - Anodização
Parte 18: Sistema de avaliação da corrosão por picadas - Método das imagens de referência.
NP EN 12373-19: 2002 - Alumínio e ligas de alumínio - Anodização
Parte 19: Sistema de avaliação da corrosão por picadas - Método da grelha quadriculada.
* NP 3645: 1990 - Alumínio anodizado - Resistência à luz artificial dos revestimentos anódicos coloridos.
* EN ISO 2360: 1982 - Revestimentos não condutores sobre metal de base não magnético. Medição da espessura. Método das correntes de Foucault (NP 1477).
* NP EN ISO 1463: 1998 - Medição da espessura do revestimento - Método do corte micrográfico.
 
NOTA: As normas assinaladas com (*) definem os procedimentos dos ensaios especificados nas “Directivas relativas à Licença de Marca de Qualidade QUALANOD, para Anodização do Alumínio Trabalhado para fins Arquitecturais”.
 
LACAGEM
* NP EN ISO 1519: 1997 - Tintas e Vernizes - Ensaio de dobragem com mandril cilíndrico.
* EN ISO 1519: 2002 - Tintas e Vernizes - Ensaio de dobragem (mandril cilíndrico).
* NP EN ISO 1520: 1998 - Tintas e Vernizes - Ensaio de embutimento.
* EN ISO 1520: 2001 - Tintas e Vernizes - Ensaio de embutimento.
* NP EN ISO 2409: 1995 - Tintas e Vernizes - Aderência pelo método da quadrícula.
* NP EN ISO 3231: 1998 - Tintas e Vernizes - Determinação da resistência a atmosferas húmidas contendo dióxido de enxofre.
* EN ISO 2360: 1995 - Revestimentos não condutores sobre metais de base não magnéticos - Medição da espessura. - Método das correntes de Foucault (NP 1477).
* NP EN ISO 2815: 1998 - Tintas e vernizes - Ensaios de indentação Buchholz.
* NP EN ISO 11341: 1997 - Tintas e vernizes - Envelhecimento acelerado e exposição à radiação artificial Exposição à radiação de arco de xénon filtrada.
* ISO 2810: 1974 - Tintas e vernizes - Notas indicativas sobre a condução dos ensaios de envelhecimento natural (NP 2233: 1988).
*NP EN ISO 2813: 2001 - Tintas e vernizes - Determinação do brilho especular de revestimentos por pintura não metálicos a 20º, 60º e 85º.
* ISO 7724-3: 1984 - Tintas e vernizes - Colorimetria: Parte 3 - Cálculo das diferenças de cor.
* ISO 9227: 1990 - Ensaios de corrosão em atmosferas artificiais - Ensaio com nevoeiro salino acético.
Normas alemãs:
* DIN 50 939: 1996 - Protecção anti-corrosiva - Cromatação do alumínio - Princípios e métodos de ensaio.
* DIN 50 017: 1982 - Atmosferas e a sua aplicação técnica - Resistência a uma atmosfera com água de condensação constante.
Normas americanas:
* ASTM D 2794: 1993 - Método de ensaio normalizado para determinação da resistência de um revestimento orgânico aos efeitos de deformação rápida (impacto).
* ASTM D 3260: 1996 - Método de ensaio normalizado para determinação da resistência ao ácido e argamassa em revestimentos claros de produtos de alumínio extrudido.
* ASTM C 2O7c: 1992 - Método normalizado para preparação da argamassa.
 
NOTA: As normas assinaladas com (*) definem os procedimentos dos ensaios especificados nas “Directivas relativas à Licença de Marca de Qualidade QUALICOAT, para Revestimentos por Termolacagem (Líquida ou em Pó) do Alumínio destinado à Arquitectura”.
 
GARANTIA DE QUALIDADE
NP EN ISO 9000: 2000 - Sistemas de gestão da qualidade - Fundamentos e vocabulário.
NP EN ISO 9001: 2000 - Sistemas de gestão da qualidade – Requisitos.
NP EN ISO 9004: 2000 - Sistemas de gestão da qualidade - Linhas de orientação para a melhoria do desempenho.
 
NOTA: Esta relação não dispensa a consulta do catálogo ou do site do IPQ - Instituto Português da Qualidade, o qual permite a encomenda directa das normas.